2 de mar de 2007

NAW-RÚZ (ANO NOVO BAHÁ'Í)

Naw-Rúz (Ano Novo Bahá’i)
21 de março

O Naw-Rúz é o primeiro dia do ano novo bahá’i. Ele coincide com o aquinócio vernal no hemisfério norte, que usualmente ocorre em 21 de março. Bahá’u’lláh explica que essa festa deve ser celebrada sempre no dia em que o sol entra na constelação de Áries (i.e. o equinócio de primavera), mesmo que isso ocorre um minuto antes do pôr do sol. Dessa forma, o Naw-Rúz pode cair nos dias 20, 21 ou 22 de março, dependendo do horário do equinócio. (Bahá’u’lláh no Livro Sacratíssimo/Kitáb-i-Aqdas, págs:147 e 148).

O Naw- Rúz é comemorado entres os bahá’is da comunidade internacional, no décimo nono (19°.) dia do jejum bahá’i, onde é realizada uma grande festa de ano novo, o primeiro dia do Calendário Bahá’i. Muita alegria, companheirismo e amor entre os participantes, o ambiente é decorado de forma a proporcionar bem-estar e paz espiritual, são realizadas neste cerimonial; orações, canções e atividades em louvor e gratidão a Deus, pois este é considerado o Dia de Deus. Após a parte devocional e de atividades, é servida uma mesa com variedades de alimentos; frios, frutas, sucos, doces, refrigerantes e outras iguarias para os participantes. A Festa de Naw-Rúz é aberta a todas as pessoas que quiserem participar; parentes, amigos e simpatizantes da Fé Bahá’i são bem- vindos.

Os bahá’is trocam entre si, abraços calorosos desejando aos seus amigos um feliz ano novo, muita paz e amor no decorrer do ano que se inicia.

* O Calendário Bahá’i, ou o ano bahá’i, consiste em dezenove meses de dezenove dias (isto é, 361 dias), com adição de certos “Dias Intercalares (quatro nos anos comuns e cinco nos bissextos), que são os dias onde são celebrados o Ayyám-i-Há—(dos dias 26 de fevereiro a 1°. de março), entre o décimo oitavo e o décimo nono mês, a fim de ajustar o calendário ao ano solar. O Báb (Precursor da vinda de Bahá’u’lláh), deu aos meses os nomes dos atributos de Deus. O Ano Novo bahá’i, é astronomicamente fixado, iniciando no equinócio de março (usualmente 21 de março), e a Era Bahá’i começa no ano da declaração do Báb (1844 da Era Cristã, 1260 da Era Maometana)*.
*Livro:Bahá’u’lláh e a Nova Era,pg.:171.


*Calendário Bahá’i


Mês Nome Àrabe Tradução Primeiro Dia

1 Bahá Esplendor 21 de março
2 Jalál Glória 09 de abril
3 Jamál Beleza 28 de abril
4 ‘Azamat Grandeza 17 de maio
5 Núr Luz 05 de junho
6 Rahmat Misericórdia 24 de junho
7 Kalimát Palavras 13 de julho
8 Kamál Perfeição 1°. de agosto
9 Asmá Nomes 20 de agosto
10 ‘Izzat Força 08 de setembro
11 Mashíyyat Vontade 27 de setembro
12 ‘Ilm Conhecimento 16 de outubro
13 Qudrat Poder 04 de novembro
14 Qawl Discurso 23 de novembro
15 Masá’il Perguntas 12 de dezembro
16 Sharaf Honra 31 de dezembro
17 Sultán Soberania 19 de janeiro
18 Mulk Domínio 07 de fevereiro

DIAS INTERCALARES, 26 de fevereiro a 1°. De março, inclusive.

19 ‘Alá’ Sublimidade 02 de março*

*Livro: Bahá’u’lláh e a Nova Era, pg:172.


O Báb, (Mensageiro que veio como Arauto da Nova Dispensação de Deus para a Humanidade e Precursor da vinda de Bahá’u’lláh no século XIX), disse da importância de um novo calendário para o futuro promissor da Humanidade, que não muito distante, seria preciso que todos os povos do mundo concordassem sobre um calendário comum. Existem hoje vários calendários diferentes em uso diário, como o gregoriano na Europa Ocidental, o juliano em muitos países da Europa Oriental, o hebraico entre os judeus, e o maometano nas comunidades muçulmanas. Tanto o calendário gregoriano como o bahá’i, o mês lunar é abandonado e é adotado o ano solar.


Estudo feito dentro do livro: Bahá’u’lláh e a Nova Era em 19 de março, por:

Catarina Cavalcante de Jesus.
Membro da Assembléia Espiritual Local,
Representante Bahá’i de Mídia da
Comunidade Bahá’i de Goiânia.

"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

O Jejum Bahá'i

O Jejum Bahá’i
(de 02 a 21 de março)

O jejum bahá’i é observado no décimo nono mês (19°.) do Calendário Bahái, tido como o mês de ‘Alá’ ou Sublimidade, tendo seu primeiro dia em 02 de março­­­­­­­­­­-- este é o dia em que os bahá’is em todo o planeta iniciam assim o seu jejum. Porém antes do período do jejum, os bahá’is vivem o que é chamado de Ayyám-i-Há.(Os Dias do Há),de 26 a 01 de março.

Chamado de Dias Intercalares, é especialmente reservados a hospitalidade, auxílio aos pobres, aos doentes e na troca de presentes. Bahá'u'lláh instrui aos Seus seguidores que durante estes dias, realizem festividades, regozijo e a caridade.O ayyám-i-Há, antecede o Jejum Bahá'i que tem seu início dos dias 02 a 21 de março.

O jejum é ordenado a todos os fiéis, desde os 15 anos de idade até os 70. Durante (19) dezenove dias o jejum é observado através da abstinência de alimentos e bebidas, do nascer ao pôr do sol.

Bahá’u’lláh em Seu Livro mais Sacratíssimo, Kitáb-i-Aqdas na página 147 diz:

“... é essencialmente um período de meditação e oração, de recuperação espiritual, durante o qual cada fiel deve esforçar-se por fazer os ajustes necessários em sua vida interior, e para refrescar e revigorar as forças espirituais latentes em sua alma. Sua significação e propósito, portanto, são de caráter fundamentalmente espiritual. O ato de jejuar é um símbolo, e serve para nos lembrar da abstinência dos desejos mundanos e egoístas.”

Os baha’is durante o período do jejum, se alimentam com alimentos saudáveis e leves antes do nascer do sol, porém antes de se alimentarem, lêem as escrituras e textos sagrados e fazem orações especificas para este período e outras que desejarem. Após o nascer nascer do sol, eles se abstém de qualquer tipo de alimentos ou bebidas. Quando o sol se põe eles novamente voltam a ler as escrituras e textos sagrados e fazerem suas orações, então aí se alimentam para repor suas energias. Costumam quebrar o jejum na casa de amigos bahá’is que também estão jejuando.

No livro Bahá’u’lláh e a Nova Era, página 176 diz:

Há muita evidência que indica ser um jejum periódico como o adotado pelos ensinamentos bahá’is, benéfico como medida de higiene física, mas justamente como a realidade da festa bahá’i não reside no consumo de alimento físicos, e sim, na comemoração de Deus, da mesma maneira a realidade do jejum bahá’i não consiste na abstinência do alimento físico, embora isso possa concorrer para a purificação do corpo, e sim, na abstinência dosa desejos e luxúrias carnais, e no desprendimento de tudo, salvo de Deus. ‘Abdúl-Bahá diz:

“O jejum é um símbolo. Jejuar significa abster-se da luxúria. O jejum físico é um símbolo dessa abstinência, e nos faz lembrar dela; isto é, do mesmo modo que uma pessoa abstém-se de satisfazer os apetites físicos, deve abster-se dos apetites e desejos do ego. Mas a mera abstinência de alimentos não tem nenhum efeito sobre o espírito. È apenas um símbolo, um meio de nos lembrarmos. Do contrário é de nenhuma importância. Jejuar com esse intuito não significa inteira abstinência de alimentos. A regra de ouro a respeito de alimentos é não se alimentar em demasia nem pouco. A moderação é necessária.”

“Abdúl-Bahá diz ainda, que existe seita que pratica a abstinência ao extremo, reduzindo gradualmente a nutrição até passarem quase sem alimentos e que um homem não pode servir a Deus com a mente ou o corpo se está fraco por falta de alimentos por isso este homem não pode ver com clareza, pois sua inteligência sofre com isto.

O jejum não é obrigatório às crianças, aos inválidos, aos viajantes, àqueles que são idosos ou muito fracos (inclusive mulheres grávidas ou que amamentam). O término do jejum é assinalado com o Naw-Rúz, no dia 21 de março, que é o mês Bahá ou Esplendor, sendo este o primeiro dia do ano novo bahá’i ,ou o “Dia de Deus”. Bahá’u’lláh diz que este é o dia do ano em que Deus envolve toda a Criação com Sua Terna Misericórdia e Amor.


Estudo feito em 19 de fevereiro de 2007, por:

Catarina Cavalcante de Jesus.
Membro da Assembléia Espiritual ,
Representante de Mídia da
Comunidade Bahá’i de Goiânia



"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

Deve o menor criminoso ser punido ou deixá-lo impune?

Deve o menor criminoso ser punido ou deixá-lo impune?
Existem dois tipos de tormentos: o Sutil e o Grosseiro.
O primeiro tormento e punição é o sutil e até imperceptível.Dado que o indivíduo ao longo de sua vida, desde a infância até a sua idade adulta, pela falta ou escassez de instrução e a indiferença para com Deus, a mentira, a deslealdade, a traição, a desonestidade etc...Todas são imperfeições humanas que por si só já constituem terrível punição e tormento; tanto espiritual como, moral e física, desta forma moldando assim um caráter deformado conduzindo os adolescentes e jovens; e porque não dizer as crianças ao mundo da criminalidade, violências e atrocidades que deixam à sociedade em pavorosa e estupefata.

Vemos todos os dias, autoridades que atuam no campo da criminalística, ocupam-se dia e noite em fazer leis penais e organizar meios de punições severas. Constroem prisões de segurança máxima e arranjam exílios, desterros e várias espécies de torturas; e pensam assim que estão corrigindo e reeducando os criminosos que muitas vezes saem das cadeias cada vez piores do que quando entraram para lá, pois estes meios aplicados, na realidade destroem a MORAL e PERVERTE OS CARÁTERES.

A educação espiritual, moral, ética e material, incluindo todos os campos das ciências humanas e artes; deveria estar inculcada na mente de cada cidadão do mundo , que, o único meio eficaz e primordial a todos os seres humanos, desde a mais tenra idade; e porque não dizer desde o ventre materno; principalmente no que tange àquela gravidez rejeitada e indesejada. É a educação num todo, abrangendo todos os campos que civiliza realmente um homem, o caminho para tantas especulações, para que os filhos das sociedades tenham um caráter moldado, reto e puro e tornem-se homens e mulheres de bem e responsáveis pelos seus atos. Lembrando bem que, são os pais os maiores responsáveis pela educação espiritual, ética, moral e material de seus filhos, principalmente porque são eles o espelho para seus filhos.

Abdú ‘l Bahá, um grande sábio da religião disse em um de seus livros, escrito no século XIX:

“Já verificou ser o crime menos freqüente entre os povos civilizados do que entre os mais sem instrução e ignorantes, isto é entre os que adquiriram à verdadeira civilização e educação, a civilização divina, aqueles nos quais se encontram reunidas todas as perfeições espirituais, bem como as materiais. O crime, desde que provém da ignorância, deverá diminuir à medida que forem disseminados os conhecimentos.Vemos com freqüência assassínios entre os bárbaros da África; até matam a fim de comerem a carne e o sangue do semelhante! Por que não vêem na Suíça tais selvagens? A razão é evidente: A EDUCAÇÃO E O ELEVADO GRAU DE MORALIDADE E ESPIRITUALIDADE IMPEDEM ISSO” (Livro: O Esplendor da Verdade)

Quando nossas autoridades e toda a sociedade começarem a dedicar todos os esforços à EDUCAÇÃO DOS HOMENS, principalmente dos adolescentes, de 12 a 15 anos, se preocupando em torná-los virtuosos, combatendo assim todos os vícios, fazendo-os possuidores de uma sã moral, poderemos unidos, acabar com o crime e a violência brutal.


O segundo tormento e punição é o Grosseiro: desta categoria são as duras penas como encarceramento, açoites, expulsão, desterro e a correção.

Os opressores, os assassinos e malfeitores devem ser punidos e castigados, afim de que isso impeça que outros cometam crimes semelhantes. A sociedade tem direito a defesa e proteção própria, mas sem espírito de vingança ou rancor, cabem as leis e as autoridades desta área as providências de impedir que os infratores continuem sem punição, causando cada vez mais, mau as pessoas que procuram viver uma vida correta.

Mesmo os menores com idade de 15 anos, já têm suficiente entendimento para saberem distinguir o bem do mau, o certo do errado. Acima dos 15 anos qualquer jovem é apto para saber o que está fazendo, se podem votar, fazer vestibular; e saírem sozinhos é porque já são aptos a assumirem seus atos, bons ou ruins, não seria diferente também se ao cometerem os mais bárbaros crimes, possam responder por eles perante a lei; ainda que em regimes fechados até a maior idade, para que sejam educados por profissionais especializados, tanto na área das ciências ou em outros ramos do conhecimento, sejam também educados espiritualmente e nas artes em geral, podendo adquirir as virtudes necessárias para que mudem de comportamento e mentalidade; e futuramente sejam inseridos dentro da sociedade, se assim estiverem regenerados e transformados.

A Justiça é a mais amada das virtudes aos olhos de Deus, disse outro Grande Sábio religioso: “A TENDA DA EXISTÊNCIA É SUSTENTADA PELO PILAR DA JUSTIÇA, E NÃO DA CLEMÊNCIA”.

Se atualmente a lei da clemência fosse praticada em todos os países, o mundo, dentro em breve cairia em desordem, e as bases da vida humana desmoronariam. Não houvesse os governos da Europa, por exemplo, registrado ao Átila, ele não teria deixado nem um só homem vivo.

Há pessoas parecidas com lobos sanguinários: a menos que saibam que a punição os espera, matarão por mero prazer, por divertimento.”

Segundo a História, um dos tiranos da Pérsia, matou seu preceptor (diretor, educador), com o fim único de divertir, como se fosse um jogo, um esporte. O famoso Mutawakkil, o Abbasid, após haver reunido em sua presença seus ministros, conselheiros e funcionários, soltou na assembléia uma caixa de escorpiões, e proibiu todos de se moverem, caindo então em gargalhadas ao ver os escorpiões aguilhoarem os presentes.

Novamente diz O Grande Sábio religioso:

“Numa palavra, se ao conhecimento de Deus acrescentar o amor a Ele e também a atração, o êxtase, e a boa vontade, teremos um ato reto realmente íntegro, perfeito.Em caso contrário, se não for sustentada pelo conhecimento de Deus, pelo amor a Ele; e por uma intenção sincera, a boa ação, embora louvável, será incompleta. Consideramos o exemplo do corpo humano: para que seja perfeito, deve reunir todas as perfeições. Não lhe basta à visão, embora essa seja extremamente preciosa; a audição é imprescindível. A audição também é muito apreciável, mas o poder da linguagem lhe deve servir de auxílio e este, por mais importante que seja , depende, por sua vez, do raciocínio; e assim por diante.

“QUANDO UM HOMEM POSSUI TODOS ESTES PODERES—TODOS OS ÓRGÃOS E MEMBROS DO CORPO, E TODOS OS SENTIDOS, RECEBENDO O SOPRO DO ESPÍRITO SANTO, LHE DANDO A PERFEIÇÃO ESPITRITUAL, TRANSFORMANDO SEU CARÁTER RESSUCITANDO-O DA MORTE DAS TREVAS E DO MAU, FAZENDO-LHE NOVO HOMEM—É ELE REALMENTE PERFEITO E REGENERADO.”

“Resumo feito por Catarina Cavalcante de Jesus, em 28 de fevereiro de 2007, a partir do Livro” O Esplendor da Verdade “— por ‘Abdú’l Baha.
Assunto do capítulo: O Método correto de tratar os criminosos (pgs 240 a 242).



"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

                            Quando a Semente Germina e dá Belos Frutos.                                  Uma História de fé, encantadora! ...