22 de dez de 2008

Bahá'ís celebram os 60 anos da Declaração de Direitos Humanos

Nova Iorque — Várias comunidades bahá'ís por todo o mundo estão celebrando a semana dos Direitos Humanos – que este ano tem um dignificado especial porque marca os 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.


Em Nova Iorque, a Comunidade Internacional Bahá'í irá sediar um seminário de um dia sobre “Liberdade de Crença ou Religião: Perspectivas e Desafios após Sessenta anos de Proteção das Nações Unidas.”

O seminário, que será realizado no dia 8 de dezembro, contará com dois painéis de discussão com a presença, entre outros, de: Felice Gaer do Instituto Jacob Blaustein que trabalha para a Comissão sobre Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos; Azza Karam do Fundo das Nações Unidas para a População (Unfpa); Cole Durham do Centro Internacional para Estudos sobre Legislação e Religião da Universidade de Brigham Young; e Malcolm Evans da Faculdade de Direito da Universidade de Bristol.

"O Dia dos Direitos Humanos tem um significado especial este ano porque os direitos humanos parecem estar sob ataque vindo de várias direções”, disse Bani Dugal, a principal representante da Comunidade Internacional Bahá'í para as Nações Unidas, que também falará no evento em Nova Iorque. "Este ano, devido ao 60° aniversário da Declaração Universal de Direitos Humanos, é ainda mais importante, uma vez que o documento define os padrões normativos mais fortes para a liberdade de religião ou crença."

Pelo Mundo

Diversas comunidades bahá'ís nos níveis nacional e local planejaram eventos para o Dia dos Direitos Humanos, comemorado a cada ano em 10 de dezembro. Abaixo seguem alguns exemplos:

No Canadá, bahá'ís estão realizando ou apoiando pelo menos 10 eventos, incluindo a “Conferência sobre Direitos Humanos e Dignidade Global”, que será realizada em Victoria, British Columbia, nos dias 6 e 7 de dezembro.

Vários eventos com participação bahá'í acontecerão em diversas universidades canadenses, incluindo McGill em Montreal, e, em British Columbia, a Universidade Simon Fraser e a Universidade de British Columbia.

Celebrações locais ocorrerão em Chilliwack, Abbottsford, Colwood, Maple Ridge e Langley (British Columbia), e também em Richmond Hill e Okaville (Ontário).

"Temos encorajado as Assembléias Locais a realizar events”, disse Gerald Filson, porta-voz da Comunidade Bahá'í do Canadá.

No Brasil, bahá'ís participarão da XI Conferência Nacional de Direitos Humanos, que será realizada em Brasília entre os dias 15 e 18 de dezembro. São esperadas cerca de 1.500 pessoas, entre delegados eleitos nos 26 estados e no Distrito Federal, além de convidados e observadores.

A Comunidade Bahá'í do Brasil preparou, em parceria com o Fórum Nacional de Educação em Direitos Humanos, uma nova edição da “Passarela dos Direitos Humanos”, uma exibição de 30 painéis representando os artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A Passarela foi projetada para ser um corredor pelo qual as pessoas podem passar e observar os 30 artigos. A nova edição da Passarela foi confeccionada utilizando linguagem e desenhos elaborados por alunos do ensino médio de uma escola do Guará, uma das cidades próximas de Brasília, com apoio financeiro parcial da Organização dos Estados Ibero-Americanos.

No Reino Unido, a comunidade bahá'í produziu dois folhetos para serem distribuídos em escolas e universidades acerca da perseguição aos bahá'ís no Irã e sua correlação com a Declaração universal dos Direitos Humanos, com foco específico no direito à educação.

"Nossos jovens bahá'ís de várias localidades estão também organizando seminários, eventos e apresentações”, disse Robert Weinberg, um porta-voz dos bahá'ís do Reino Unido.

Ele disse que os bahá'ís estão também apoiando uma carta aberta, assinada por diversos educadores, líderes religiosos e acadêmicos de várias partes da Grã Bretanha que critica a política iraniana de negar aos bahá'í acesso à educação superior. A carta será divulgada no Dia dos Direitos Humanos.

Na Áustria, a comunidade bahá'í organizou um evento em 6 de novembro de 2008 na Sede Bahá'í de Viena, marcando a prisão e assassinato de bahá'ís de origem judaica durante a II Guerra Mundial. A cerimônia também celebrou os 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Na Índia, bahá'ís estão realizando um programa em Lucknow que lançará um discurso sobre a erradicação da pobreza infantil, em colaboração com o escritório do UNICEF em Uttar Pradesh.

Estabelecido pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 1950, o Dia dos Direitos Humanos marca o aniversário da adoção pela Assembléia Geral da Declaração Universal dos Direitos Humanos em 10 de dezembro de 1948. Ao longo dos anos, uma rede de instrumentos e mecanismos de direitos humanos foi desenvolvida para garantir a primazia dos direitos humanos e para confrontar violações de direitos humanos onde quer que elas ocorram.

Fonte: Bahá'í World News Service http://news.bahai.org/story/676



"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-


Nenhum comentário: