29 de fev de 2008

Resultado da Campanha S.O. S Hospital de Urgências de Goiânia.


Solidariedade pela Humanização do HUGO.
AJUDE A SALVAR VIDAS!
Solidariedade pela Humanização do HUGO.
AJUDE A SALVAR VIDAS!

As doações estão chegando timidamente para a Campanha S.O. S Hospital de Urgências de Goiânia, como: lençóis novos e usados, roupa de banho, colchas, fraldas geriátricas, materiais de primeiros socorros, roupas de vestuários novos e usados, calçados, livros e revistas; foi doado até um televisor de 20 polegadas, o oferecimento de um caminhão de areia grossa, para ser revertido na compra de lençóis ou fraldas. A intenção com esta iniciativa agora é, de tornar a campanha em um trabalho permanente dentro do hospital e conseguir empresas e pessoas físicas que adotem a idéia e torne um colaborador voluntário permanente. Muitos doadores preferem ficar no anonimato.

Em diálogo hoje com a Sra. Simone, funcionária administrativa do Jardim de Infância do IEG, onde a direção da escola e os pais dos alunos aderiram à campanha no último dia 23/02/08; os pequenos já começaram a mostrar solidariedade para com a proposta de Humanização do HUGO. Já estão chegando brinquedos e roupas usadas para o bazar.

A iniciativa individual da Sra. Catarina Cavalcante de Jesus, de fazer uma campanha de apenas 30 dias, se tornou em um trabalho permanente de Humanização do Hugo e o exemplo sensibilizou a Chefe de Enfermagem Giselle Nunes de Almeida. A jovem trabalha na Associação de Saúde Mental Infantil de Goiás, (ASMIGO), no Setor Negrão de Lima, (Instituição Filantrópica conveniada com o SUS) e que trabalha somente pacientes de baixa renda, o único hospital em Goiás que por ser de saúde mental, é decretado por lei que; cada paciente tenha um acompanhante durante todo o tempo de internação, onde é servido para o paciente e seu acompanhante, o café da manha, almoço, lanche da tarde e janta) também é o único que trabalha com crianças e adolescentes de 01 a 18 anos, com transtornos de comportamento, doenças mental, e problemas de droga dicção.

A direção da ASMIGO abriu as portas para que, através deste trabalho iniciado na Campanha S.O.S Hospital de Urgências de Goiânia, seja instalado dentro da ASMIGO uma brinquedoteca, já que, por ser o HUGO um hospital de alto risco de infecção e não possam circular com crianças; a Sra. Catarina, ao ver o desejo de Giselle Nunes em adotar também a idéia dentro da ASMIGO, ofereceu os brinquedos que chegarem para a campanha do HUGO; para inaugurar esta brinquedoteca. Fica agora, aberto às pessoas físicas ou empresas que queiram também ajudar na Humanização da ASMIGO, doando medicações e materiais de procedimento, para ajudar no tratamento destas crianças e adolescentes. Entrem em contato com a Srta. Giselle pelos fones: (62)3202-11-46 ou 8447-42-70.

A idéia funciona!!! Como vários exemplos que temos visto, no Colégio Jardim de Infância de Aplicação do Instituto de Educação de Goiânia (IEG), situado na 5ª Avenida na Vila Nova; em reunião de pais do dia 23/02/08, a diretora Sra. Vanilda Soares Barreto, relatou que com apoio dos pais dos alunos; que se juntaram, compraram o material e a escola foi reformada e toda pintada, com desenhos infantis por dentro da escola e por fora, nos muros, trabalho feito por um dos funcionários da escola, hoje o ambiente é aconchegante e permanece em perfeito estado de conservação e bem-estar para que os alunos se sintam felizes e possam produzir melhor. Temos visto outros exemplos como este que está acontecendo por aí, e podemos perceber que a sociedade está se conscientizando aos poucos; e que todos nós temos uma parte a cumprir com nossa responsabilidade social, mesmo que..., pagando nossos impostos em dia.

Sabemos que a superpopulação das cidades, faz com que os recursos de hospitais, escolas e outras instituições não dêem conta de suprir a grande necessidade gerada por uma superlotação nestes setores; e se cada um de nós puder ajudar a melhorar a qualidade de vida de pacientes, alunos etc. Teremos sem dúvida um mundo melhor, e assim à conscientização dos dirigentes de nosso país será cada vez mais desperta para a melhoria da saúde e da educação e outros seguimentos sociais no país.

Seja você também um cidadão solidário! O Hospital de Urgências de Goiânia é nosso.

Catarina Cavalcante de Jesus.
Responsável pela iniciação da Campanha S.O. S Hospital de Urgências de Goiânia.
Solidariedade pela Humanização do HUGO.
AJUDE A SALVAR VIDAS!

Informações: (62) 8447-42-70 ou 3201-44-39


"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

24 de fev de 2008

Campanha S.O. S Hospital de Urgências de Goiânia, é realizada também em escola.

A Direção do Jardim de Infância de Aplicação do Instituto de Educação de Goiânia (IEG), situada na 5ª Avenida na Vila Nova, abriu hoje 24/02/08, na reunião dos pais, onde fora feita a apresentação do corpo docente e dos funcionários, também foi tratado assuntos pertinentes aos regulamentos, pedagogia, e propósitos a serem alcançados.

Após a Senhora Vanilda Soares Barreto, diretora da escola, divulgar a proposta pedagógica onde as crianças desenvolvem trabalhos e artes que despertem e cultivem virtudes e valores humanos, como o respeito, amor, tolerância, solidariedade, etc..., para que cresçam e se desenvolvam como verdadeiros cidadãos e homens de bem, para que cultivem uma cultura de paz e tenhamos uma sociedade mais justa.

Na oportunidade a Sra. Catarina Cavalcante de Jesus, pediu para apresentar a proposta de que fosse implantada na escola, a Campanha S.O. S Hospital de Urgências de Goiânia. Solidariedade pela Humanização do HUGO. AJUDE SALVAR VIDAS! Para desenvolver nos alunos o espírito de solidariedade, amor ao próximo e caridade, a oportunidade foi dada à idealizadora da campanha, que falou do porque, as intenções e a necessidade da Humanização do hospital, que atende 15.000 pacientes por mês. Disse sobre o trabalho ter sido apoiado pela direção geral do hospital e pela imprensa de Goiânia, e já estar colhendo resultados positivos. Pediu então aos pais que se aderisse a esta idéia humanitária.

Foram pedidas: ataduras, gazes, brinquedos usados para montar uma brinquedoteca, para que as crianças que chegam ao hospital com os pais tenham um pequeno espaço para brincar enquanto aguardam, roupas e calçados usados que serão vendidos no bazar do hospital e revertidos a materiais de uso necessários para o bom atendimento dos pacientes que ali chegam.

A Senhora Vanilda diretora do Jardim de Infância de Aplicação do Instituto de Educação de Goiânia (IEG), declarou assim, aberta a campanha na escola, onde providenciaria uma caixa para recolher as doações vindas dos 600 alunos de quatro e cinco anos que estudam ali. A idéia foi aplaudida pelos pais que faziam alguns comentários durante a proposta apresentada.

A direção do Hugo sugeriu que a campanha fosse divulgada nas universidades e escolas, e coincidentemente e escola do Jardim de Infância de Aplicação do Instituto de Educação de Goiânia (IEG), será a primeira escola de Goiânia, a aderir a este projeto de humanização.

Que belo exemplo a ser seguido este! Pequeninos de quatro e de cinco anos se tornarão os Amigos do HUGO.

Campanha S.O. S Hospital de Urgências de Goiânia.
Solidariedade pela Humanização do HUGO. AJUDE SALVAR VIDAS!

A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

16 de fev de 2008

Relatos de idéias que deram certo em hospitais de São Paulo, pode dar certo aqui em Goiânia!

ADOTE ESTA IDÉIA!

Multiplicam-se as iniciativas em benefício dos pacientes dentro dos hospitais públicos e particulares, que desenvolvem programas de voluntariado.


A importância do trabalho voluntariado.

Com o crescimento da consciencia de que a responsabilidade quanto as demandas sociais não é mais única e exclusivamente uma obrigação do Estado, fortalecendo o conceito de que cada um de nós pode colaborar com a melhoria da qualidade de vida das comunidades, multiplicam-se iniciativas privadas com fins públicos, através de parcerias entre a sociedade civil, mercado e o próprio Estado , o chamado Terceiro Setor.O voluntário é uma pessoa solidária , disposta a doar parte de seu tempo e de seu talento, e quando sua ação se dá no interior de uma instituição de saúde, essa contribuição deve estar bem articulada e em total acordo com as necessidades e procedimentos da entidade que o recebe.

Uma idéia que deu certo

O Centro de Voluntariado de São Paulo (CVSP) foi fundado em 1997, por um grupo de pessoas de diferentes segmentos da sociedade e por participantes de diversas organizações sociais, que, motivados pela crescente demanda de iniciativas da sociedade civil e da responsabilidade social, tinham como objetivo fortalecer a ação voluntária no Brasil. A missão do CVSP é incentivar e consalidar a cultura e o trabalho voluntário na cidade de São Paulo, além de promover a educação para o exercício consciente da solidariedade e da cidadania.

O trabalho voluntário hoje é exercido de forma mais comprometida e enganjada que no passado. Assim como os voluntários procuram se capacitar para o desempenho das funções, organizações se preparam para melhor recebê-los. A sociedade só tem a ganhar com isto.

Os voluntários podem contribuir no dia - a- dia dos hospitais, usando seus talentos para desenvolver novas atividades ou melhorar as já existentes. Por exemplo: recreacionista/recepção e acompanhamento/grupos de apoio/ grupos de canto e música/apoio adminestrativo/organização de eventos:Dia do Médico. Dia das Crianças, natal, etc./brinquedoteca/ cantinho da beleza/cantinho da paz/oficina de artesanato/ palestras de orientação/contadores de histórias/visitas ao leito/ manutenção/captação de recursos /bazares/carrinho do chá/biblioteca circulante-carrinho de leitura/ reforço escolar/distribuição de kits de higiene/distribuição d elanches pós coleta de sangue/ escrevedores de cartas/capelanias e pastorais.

Os voluntários são imprescindíveis no trabalho de humanização de um hospital.Eles contribuem no atendimento , atenção e acompanhamento dos pacientes facilitando, assim, o trabalho da equipe.Cada um de nós deve fazer a "noossa parte" na sociedade e não apenas o governo ou as empresas.Mas deve haver também, responsabilidade social por parte de quem recebe o trabalho voluntário. Tudo deve ser um troca. A Rede Voluntária, assim como qualquer outro departamento, deve seguir regras e padrões de conduta conforme os estatutos e a orientação da diretoria executiva.

Há uma relação de cumplicidade, amor e troca de coragem e energia. Os pacientes se envolvem com os voluntários aceitando "os serviços" prestados por esses colaboradores e trocando experiencias.

O Hospital Santa Marcelina ( SP), criou há quatro anos, o "Projeto Adote umLeito", que é uma ação de responsabilidade social na área da saúde, que destina-se ao complemento do custeio das internações, tratamento e procedimentos realizados no complexo hospitalar, que não são remuneradas adequadadmente pelo Sistema Único de Saúde. è uma alternativa lançada pelo hospital para atender o atendimento de qualidade à comunidade carente. A ação inovadora, conquistou a sociedade e o complexo hospitalar, que conta com a parceria de várias empresas e pessoas físicas. Atualmente, 20 empresas colaboram com o projeto, além de pessoas físicas.

Todos os hospitais deveriam ter uma equipe de voluntários para ajudar no atendimento dos pacientes e também no trabalho junto às equipes médicas. Os voluntários"somam" no trabalho do hospital.

Resumo de matéria retirada da REVISTA HOSPITAIS/ Ano lV nº 19 Maio/Junho de 2006
Matéria: Mesa Redonda, em entrevista com as diretoras:
-Do Centro de Voluntariado de São Paulo(CVSP) Sra. Maria Lúcia Meirelles Reis,
-Hospital do câncer, A.C Camargo-São Paulo-SP. Sra Liana de Morais,
- Diretora- Presidente do Hospital Santa Marcelina. Irmã Rosane Ghedin.


AÇÕES QUE DERAM CERTO

MÃOS QUE AJUDAM OS HOSPITAIS PÚBLICOS.

HUMANIZAÇÃO

Brasil - 01 de maio de 2007
Sessenta mil voluntários doam cerca de 200 mil peças de roupas e lençóis a mais de 290 hospitais
Sessenta mil voluntários em ação, cerca de 300 hospitais beneficiados em mais de 190 cidades em todo o Brasil. Assim, os voluntários do Programa Mãos que Ajudam, membros e amigos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, empenhados na finalização do projeto denominado "Mãos que Ajudam os hospitais públicos", comemoraram o feriado do Dia do Trabalho, 1º de maio.



Brasil - 01 de maio de 2006
Sessenta mil voluntários doam cerca de 150 mil peças de roupas e lençóis a mais de 200 hospitais

Sessenta mil voluntários em ação, mais de 200 hospitais beneficiados em 150 cidades de todos os estados brasileiros. Assim, os voluntários do Programa Mãos que Ajudam, membros e amigos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, empenhados na finalização do projeto denominado "Mãos que Ajudam aos hospitais públicos", comemoraram o feriado do Dia do Trabalho, 1º de maio.

Fonte:PROGRAMA MÃOS QUE AJUDAM

"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

15 de fev de 2008


A direção geral do Hospital de Urgências de Goiânia, abriu no dia 14/02/08, um espaço dentro do hospital para receber as doações que vierem da Campanha S. O.S Hospital de Urgências de Goiânia.Solidariedade e Humanização pelo HUGO, que foi iniciada no último dia 11/02 e irá até dia 11/03/08.
As doações poderão ser entregues na sala do Voluntariado, das 07:00 às 20:00 h, todos os dias; independente de quantidade dos itens solicitados na campanha.
A intenção agora é de transformar a iniciativa em um projeto permanente dentro do Hugo. O projeto poderá ser batizado de "PROJETO AJUDE A SALVAR UMA VIDA". Como modelo a exemplo do que acontece em hospitais públicos de São Paulo,pretende-se através deste trabalho, conseguir-se empresas e pessoas físicas que adote a idéia, para que o Hospital de Urgências de Goiânia, se torne um referencial tanto em tratamentos como em qualidade e humanização.

Em um diálogo via telefone, com Catarina, o diretor do hospital Dr. Luciano Leão, disse que a Sra. Valéria Loyola, Coordenadora Geral do Grupo de Voluntariado, entraria em contato com ela, para que fizessem uma parceria neste trabalho da campanha, oferecendo um local dentro do hospital para recebimento das doações, disponibilizando também um carro para buscar as doações caso fosse necessário.

Em conversa hoje com a Sra. Valéria, ela disse estar muito contente com esta iniciativa, pois há uma grande necessidade deste tipo de trabalho dentro do hospital; e propôs também fazer um grande esforço para que o trabalho dure não somente trinta dias, mas seja um trabalho permanente

Os telefones para informação da campanha é:(62) 84474270
O telefone do hospital para as entregas das doações é: (62) 3201-44-39
Entregas das doações na Sala do Voluntariado.
Hospital de Urgências de Goiânia(HUGO)

Veja a seguir:


Relatos de idéias que deram certo em hospitais de São Paulo, pode dar certo aqui em Goiânia! ADOTE ESTA IDÉIA!


Multiplicam-se as iniciativas em benefício dos pacientes dentro dos hospitais públicos e particulares, que desenvolvem programas de voluntariado.


A importância do trabalho voluntariado.

Com o crescimento da consciencia de que a responsabilidade quanto as demandas sociais não é mais única e exclusivamente uma obrigação do Estado, fortalecendo o conceito de que cada um de nós pode colaborar com a melhoria da qualidade de vida das comunidades, multiplicam-se iniciativas privadas com fins públicos, através de parcerias entre a sociedade civil, mercado e o próprio Estado , o chamado Terceiro Setor.O voluntário é uma pessoa solidária , disposta a doar parte de seu tempo e de seu talento, e quando sua ação se dá no interior de uma instituição de saúde, essa contribuição deve estar bem articulada e em total acordo com as necessidades e procedimentos da entidade que o recebe.

Uma idéia que deu certo

O Centro de Voluntariado de São Paulo (CVSP) foi fundado em 1997, por um grupo de pessoas de diferentes segmentos da sociedade e por participantes de diversas organizações sociais, que, motivados pela crescente demanda de iniciativas da sociedade civil e da responsabilidade social, tinham como objetivo fortalecer a ação voluntária no Brasil. A missão do CVSP é incentivar e consalidar a cultura e o trabalho voluntário na cidade de São Paulo, além de promover a educação para o exercício consciente da solidariedade e da cidadania.

O trabalho voluntário hoje é exercido de forma mais comprometida e enganjada que no passado. Assim como os voluntários procuram se capacitar para o desempenho das funções, organizações se preparam para melhor recebê-los. A sociedade só tem a ganhar com isto.

Os voluntários podem contribuir no dia - a- dia dos hospitais, usando seus talentos para desenvolver novas atividades ou melhorar as já existentes. Por exemplo: recreacionista/recepção e acompanhamento/grupos de apoio/ grupos de canto e música/apoio adminestrativo/organização de eventos:Dia do Médico. Dia das Crianças, natal, etc./brinquedoteca/ cantinho da beleza/cantinho da paz/oficina de artesanato/ palestras de orientação/contadores de histórias/visitas ao leito/ manutenção/captação de recursos /bazares/carrinho do chá/biblioteca circulante-carrinho de leitura/ reforço escolar/distribuição de kits de higiene/distribuição d elanches pós coleta de sangue/ escrevedores de cartas/capelanias e pastorais.

Os voluntários são imprescindíveis no trabalho de humanização de um hospital.Eles contribuem no atendimento , atenção e acompanhamento dos pacientes facilitando, assim, o trabalho da equipe.Cada um de nós deve fazer a "noossa parte" na sociedade e não apenas o governo ou as empresas.Mas deve haver também, responsabilidade social por parte de quem recebe o trabalho voluntário. Tudo deve ser um troca. A Rede Voluntária, assim como qualquer outro departamento, deve seguir regras e padrões de conduta conforme os estatutos e a orientação da diretoria executiva.

Há uma relação de cumplicidade, amor e troca de coragem e energia. Os pacientes se envolvem com os voluntários aceitando "os serviços" prestados por esses colaboradores e trocando experiencias.

O Hospital Santa Marcelina ( SP), criou há quatro anos, o "Projeto Adote umLeito", que é uma ação de responsabilidade social na área da saúde, que destina-se ao complemento do custeio das internações, tratamento e procedimentos realizados no complexo hospitalar, que não são remuneradas adequadadmente pelo Sistema Único de Saúde. è uma alternativa lançada pelo hospital para atender o atendimento de qualidade à comunidade carente. A ação inovadora, conquistou a sociedade e o complexo hospitalar, que conta com a parceria de várias empresas e pessoas físicas. Atualmente, 20 empresas colaboram com o projeto, além de pessoas físicas.

Todos os hospitais deveriam ter uma equipe de voluntários para ajudar no atendimento dos pacientes e também no trabalho junto às equipes médicas. Os voluntários"somam" no trabalho do hospital.

Resumo de matéria retirada da REVISTA HOSPITAIS/ Ano lV nº 19 Maio/Junho de 2006
Matéria: Mesa Redonda, em entrevista com as diretoras:
-Do Centro de Voluntariado de São Paulo(CVSP) Sra. Maria Lúcia Meirelles Reis,
-Hospital do câncer, A.C Camargo-São Paulo-SP. Sra Liana de Morais,
- Diretora- Presidente do Hospital Santa Marcelina. Irmã Rosane Ghedin.



Projeto voluntário ajuda na distribuição de material para hospitais públicos

Aline Bravim
Da Agência Brasil


Brasília - Nem todo o material distribuído pelo governo federal aos hospitais públicos do país é suficiente para a demanda. As secretarias estaduais de Saúde são responsáveis pelo repasse desse material, que inclui lençóis, roupa de funcionários, protetores de pés, entre outros.


De acordo com o sub-secretário de Saúde do Distrito Federal, Ornel Costa de Azevedo, problemas com licitações, demora na entrega dos utensílios e falta de recursos financeiros estão entre as causas para a insuficiência de material nos hospitais, que têm demandas diferentes, variando de acordo com o tamanho da unidade e com a quantidade de pessoas que atende.

Na tentativa de amenizar esse problema, o projeto Mãos que Ajudam foi criado em 2003 por voluntários liderados por Eva Ferraz Fontes, com a participação dos freqüentadores da igreja Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. No ano passado, segundo a criadora e coordenadora do projeto, voluntários de todo o país adotaram a iniciativa, a fim de ajudar os hospitais de suas cidades.


"Devemos ter 60 mil voluntários no Brasil todo. Eles confeccionam cerca de 190 mil peças – roupas, lençóis, aventais e outras peças – por mês para todos os hospitais", informou Eva Fontes, em entrevista ao programa Cotidiano, da Rádio Nacional. "Todos nós fazemos parte do governo, somos membros de uma sociedade. Não podemos esperar que o governo faça tudo sozinho. A comunidade tem que se mobilizar", acrescentou.


No dia 1º, em Brasília, um mutirão – incluindo homens, mulheres e crianças – foi responsável pelo conserto de mais de 3 mil peças para três hospitais da capital. A iniciativa havia sido foi colocada em prática, pela primeira vez, no Hospital Regional da Asa Norte.


O sub-secretário Ornel Azevedo explicou que a administração de cada hospital é responsável pelo controle de seus acessórios. À medida que eles vão se esgotando, a instituição deve pedir à Secretaria de Saúde para repor o que for preciso. Feito o pedido, cabe à Secretaria o repasse do material.


Ele lembrou, no entanto, que empresas privadas fornecem material para as Secretarias de Saúde e que em geral há demora na entrega. "Quando o fornecedor demora a nos entregar o material, ele recebe multa emitida pela própria Secretaria. Com o tempo, essa multa aumenta", explicou.


Segundo Eva Fontes, "qualquer pessoa pode ser voluntária do projeto ou adotar a iniciativa em sua cidade".


FONTE: AGÊNCIA BRASIL /RADIOBRAS

Atenciosamente,


"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

Campanha S.O. S Hospital de Urgências de Goiânia .Solidariedade pela Humanização do HUGO.

DIREITOS HUMANOS & HUMANIDADE

FÉ BAHÁ’Í
Pela paz e unidade no mundo.
www.bahai.org.br

Catarina Cavalcante de Jesus
Representante de Comunicação, de Assuntos Externos e Militante de Direitos Humanos.
da Comunidade Bahá’í de Goiânia-Go.

Endereço: Rua C234, Qd. 576, Lt. 02. Bairro Nova Suíça. Fone: 84474270
E-mail: direitoshumanos_humanidade@yahoo.com.br
Blog: http://www.tochadapaz.blogspot.com
Grupo de Discussão:http://groups.google.com/group/direitos-humanos_humanidade

Realiza em Goiânia de 11 de fevereiro a 11 de março de 2008.

Os Dias do Há ou o Ayyám-I-Há, ordenados pelo Fundador da Fé Bahá’í (Bahá’u’lláh: A Glória de Deus), como dias especiais (entre 26/02 à 01/03) reservados para a hospitalidade, festividade, regozijo e a caridade como auxílio aos pobres, aos doentes e na troca de presentes entre os amigos.

Campanha S.O. S Hospital de Urgências de Goiânia .
Solidariedade pela Humanização do HUGO.
AJUDE A SALVAR UMA VIDA!

Doe para a área de Ortopedia e Traumatologia
Meta inicial:
-Lençóis novos ou usados (Meta a ser atingida 1.000 unidades)
-Cadeiras de banho (Meta a ser atingida 10 cadeiras)
-Fraldas Geriátricas Média (Meta 3.000 pacotes)
-Fraldas Geriátricas Grande (Meta 3.000 pacotes)

-Ataduras diversas (Meta 3.000 unidades)
-Gazes para curativos (Meta 3.000 unidades)
-Cobertores de solteiro (Meta 1.000 unidades
*Intenção de conseguir empresas que patrocinem a reforma dos colchões
que estão danificados.

Disse Jesus:
... Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes...
Mateus 25 v 43

...Ajudai o mundo da humanidade tanto quanto possível. Sede a fonte de consolo para todo aquele que estiver triste, ajudai todo aquele que estiver fraco, sede útil a todo aquele que for indigente, cuidai de todo aquele que estiver doente, sede a causa de glorificação para todo aquele que for humilde...
-Bahá’u’lláh
(A Glória de Deus)
Apóiam esta iniciativa:

-Comunidade Bahá’í de Goiânia.
-Rádio Universitária de Goiânia (Universidade Federal de Goiás).
-Cardiesel Bombas Injetoras de Goiânia Ltda.
-Ageap (Associação Goiana dos Empresários de Auto Peças)
-Jornal Daqui
-Skala Educacional (Editora),

Contatos pelos fones: 84474270
E-mail: direitoshumanos_humanidade@yahoo.com.br

Posto de recolhimento das doações:
Sala do Voluntariado do Hospital de Urgências de Goiânia.Fone:(062)3201-44-39/ 84474270
Horário de entrega: das 07:00 h às 20:00h.

Catarina Cavalcante de Jesus


"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

13 de fev de 2008

CAMPANHA SOS HUGO. AJUDE A SALVAR UMA VIDA!

Abertura Oficial da CAMPANHA SOS HUGO. AJUDE A SALVAR UMA VIDA!
Pela Humanização do Hospital de Urgências de Goiânia.

Realização: Comunidade Bahá'í de Goiânia
Apoio: Rádio Universitária de Goiânia/ UFG
870/AM

DE 11/02 à 11/03/08

A Rádio Universitária de Goiânia UFG, abriu oficialmente, através da representante de mídia, assuntos externos e militante de direitos humanos da Comunidade Bahá'í de Goiânia, Sra. Catarina Cavalcante de Jesus, uma Campanha pela Humanização do Hospital de Urgências de Goiânia, que terá duração de 11/02 à 11/03/08. A campanha foi aberta no programa Música Para Todos que é apresentado de 2ª a 6ª feira das 14h15min às 16h15min, apresentado pelo radialista Senhor Sobreira.

A Rádio Universitária de Goiânia criou uma vinheta especialmente para a campanha, para sensibilizar a sociedade civil e empresarial, para que apóiem a iniciativa. A vinheta será apresentada de 11/02 à 11/03/08 enquanto durar a campanha, durante o programa Música Para Todos.

A iniciativa partiu da Sra. Catarina, durante a internação de sua filha, que sofreu um gravíssimo acidente, quando caiu de uma árvore, e foi levada às pressas para o HUGO, onde passou por uma cirurgia de cinco horas e quinze minutos e teve seu pé reconstituído.

Durante os seis dias em que esteve em companhia de sua filha, Catarina andou pelo andar onde estava, viu as carências do hospital e levou adiante sua intenção, como forma de gratidão a Deus e ao trabalho realizado pela equipe médica de ortopedia; por ver uma grande necessidade de lençóis, cobertores, cadeiras de banho, onde para cerca de 40 quartos com dois ou três pacientes em cada, três cadeiras de banho são disputadas, e segundo presenciou em seu quarto, pacientes que escondiam a cadeira para que outros não a buscassem, pois depois seria difícil encontrá-la.

Segundo ela, vivenciou a falta de lençóis, faz com que camas sejam trocadas até de três a quatro dias, os colchões estão rasgados e faz com que a urina dos pacientes os encharque; e sem tempo para secar; pacientes são colocados logo após a alta do outro, isto faz com que a urina molhe rapidamente o colchão onde foi colocado novo paciente, isto ela viveu com a cama onde fora colocada sua filha, também viu a falta de ataduras para a troca diária dos curativos.

Catarina entrou em contato com meios de comunicação de Goiânia, e recebeu total apoio da Rádio Universitária de Goiânia/UFG, através da Srta. Francisneide Cunha que abraçou a idéia, se emocionou e marcou uma reunião para discutirem o assunto, que mais uma vez foi apoiado.

Após uma reunião no dia 08/02/08, às 16h00minh, juntamente com o diretor geral do hospital, Dr. Luciano Leão e o diretor técnico Dr. Sebastião de Abreu, a proposta foi aceita com alegria a emoção por parte dos diretores, que segundo um deles, estava feliz por encontrar pessoas com este sentimento de gratidão, pois muitas vezes recebem muitas críticas, e se houvessem mais pessoas com este espírito, as coisas seriam bem melhores, e poderiam fazer muito mais pelos pacientes que chegam ali entre a vida e a morte.
Dr.Luciano, 2º da esquerda para a direita/ Dr. Sebastião de Abreu, 1ºda esqueda para a direita.

O diretor geral Dr. Luciano, contou de um senhor que é indígena, mora em outro estado, teve sua filha que é professora na aldeia indígena, e que em um acidente, fora arremessada violentamente fora do veículo, praticamente morta foi levada às pressas para o HUGO, onde recebeu todos os cuidados necessários e conseguiu sobreviver. Após a alta da filha, o indígena foi ao seu escritório agradecer pelo que a equipe médica do Hugo havia feito por sua filha, pela forma como foi tratada pelos profissionais do hospital; disse ao Dr. Luciano, que sua gratidão era tamanha que perguntou para ele, o que ele poderia doar e em que ele poderia ajudar o hospital. Doutor, Luciano respondeu para ele que, não precisava dar nada, somente orar pela equipe médica e pelos profissionais do hospital. O indígena disse para o Dr. Luciano que então, já que ele trabalhava com plantação de barú, ele plantaria as sementes e plantaria no pátio do hospital como prova de sua gratidão e como uma marca desta gratidão, segundo o diretor do hospital, as plantas estão com cerca de 70 cm e serão transplantadas para o bosque existente no pátio do hospital.

Durante a reunião, coincidentemente, a secretária do Dr. Luciano, chegou com uma singela carta de agradecimento a direção do hospital e a toda equipe de profissionais por haver prestado todo socorro e atenção especial ao seu parente que fora internado ali, segundo ele aquela carta confirmava mais uma vez, o sentimento que as pessoas têm quando chegam ao HUGO; e percebem que eles trabalham por amor as pessoas que chegam ali entre a vida e a morte; e saem dali com vida.

A meta inicial da campanha pretende conseguir,

Meta inicial:
-Lençóis e fronhas novos ou usados (Meta a ser atingida 1.000 unidades)
-Cadeiras de banho (Meta a ser atingida 10 cadeiras)
-Fraldas Geriátricas Média e Grande (Meta 3.000 pacotes)
-Ataduras diversas (Meta 3.000 unidades)
-Gazes para curativos (Meta 3.000 unidades)
-Cobertores de solteiro (Meta 1.000 unidades
*Intenção de conseguir empresas que patrocinem a reforma dos colchões
que estão danificados.

Apóiam esta iniciativa:
-Rádio Universitária de Goiânia UFG
-Cardiesel Bombas Injetoras de Goiânia,
-AGEAP(Associação Goiana de Empresários de Auto Peças,
-Jornal Daqui (Organização Jaime Câmara)
-Skala Educacional (Editora),

CAMPANHA SOS HUGO. AJUDE A SALVAR UMA VIDA!
Pela Humanização do Hospital de Urgências de Goiânia.

Catarina Cavalcante de Jesus

"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

6 de fev de 2008

Campanha S.O. S Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO).Não Deixe ele fechar!

DIREITOS HUMANOS & HUMANIDADE

FÉ BAHÁ’Í
Pela paz e unidade no mundo.
www.bahai.org.br


Catarina Cavalcante de Jesus
Representante de Comunicação e Assuntos Externos da Comunidade Bahá’í de Goiânia-Go

Endereço: Rua C234, Qd. 576, Lt. 02. Bairro Nova Suíça. Fone: 84474270
E-mail: direitoshumanos_humanidade@yahoo.com.br
Blog: http://www.tochadapaz.blogspot.com



Realiza em Goiânia de 11 de fevereiro a 21 de março de 2008.

Os Dias do Há ou o Ayyám-I-Há, ordenados pelo Fundador da Fé Bahá’í (Bahá’u’lláh: A Glória de Deus), como dias especiais (entre 26/02 à 01/03) reservados para a hospitalidade, festividade, regozijo e a caridade como auxílio aos pobres, aos doentes e na troca de presentes entre os amigos.



Campanha S.O. S Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO).Não Deixe ele fechar!
Sociedade civil e empresarial AJUDE A SALVAR UMA VIDA!

Doe para a área de Ortopedia e Traumatologia


-Lençóis novos ou usados (Meta a ser atingida 1.000 unidades)
-Cadeiras de banho (Meta a ser atingida 10 cadeiras)
-Fraldas Geriátricas Média e Grande (Meta 3.000 pacotes)
-Ataduras diversas e gazes para curativos (Meta 3.000 unidades)



Disse Jesus:
... Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes...
Mateus 25 v 43


...Ajudai o mundo da humanidade tanto quanto possível. Sede a fonte de consolo para todo aquele que estiver triste, ajudai todo aquele que estiver fraco, sede útil a todo aquele que for indigente, cuidai de todo aquele que estiver doente, sede a causa de glorificação para todo aquele que for humilde...
-Bahá’u’lláh
(A Glória de Deus)


Apóiam esta iniciativa:

-Comunidade Bahá’í de Goiânia.
-Rádio Universitária de Goiânia (Universidade Federal de Goiás).
-Cardiesel Bombas Injetoras de Goiânia Ltda.
-Ageap (Associação Goiana dos Empresários de Auto Peças)
-Skala Educacional (Editora)

Contatos pelos fones: 3224-07-84/ 3203-14-45/ 84474270
E-mail: direitoshumanos_humanidade@yahoo.com.br


Posto de recolhimento: Cardiesel Bombas Injetoras Ltda.
Avenida República do Líbano, Nº. 212, Setor Aeroporto. Fone: 32240784/32240699. Goiânia-Goiás


OBS:
A direção geral do hospital forneceu para a campanha desde 0 dia 14/02/08, um
Posto de recolhimento das doações:
Sala do Voluntariado do Hospital de Urgências de Goiânia.Fone:(062)3201-44-39/ 84474270
Horário de entrega: das 07:00 h às 20:00h.

Catarina Cavalcante de Jesus


"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

1 de fev de 2008

Empresário Beto Carrero morre em São Paulo aos 70 anos

Saiba mais sobre o empresário Beto Carrero
Publicidade
da Folha Online

José Batista Sérgio Murad, mais conhecido como Beto Carrero, nasceu no dia 9 de setembro de 1937 em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo.

Nascido em família pobre, foi criado em uma fazenda onde o pai era empregado. Dizem que desde essa época já sonhava em ser o Zorro brasileiro e trabalhar em um parque de diversões.

Ricardo Nogueira/Folha Imagem

Empresário Beto Carrero e sua filha Juliana Murad, supervisora de marketing do grupo
Neste período criou ligação com o mundo dos rodeios e caubóis. Murad aproveitou um apelido do pai Alexandre, "Carreiro", adquirido por conduzir um carro de boi, e o adaptou primeiro ao seu nome, se intitulando Sergio Carreiro. Mais tarde trocou para Beto Carrero.

Aos 18, chegou ao rádio com o "Programa do Beto Carrero", onde tocava música sertaneja e contava "causos" em dupla com Tino Santana, irmão de Dedé Santana.

Autodidata como publicitário, Murad --ou Carrero-- gabava-se de ter lançado Regina Duarte como garota-propaganda. Sua agência, a JB World, chegou a ser a 19ª em termos de faturamento.

Chegou a trabalhar na TV também, com "Os Trapalhões", e teve até um quadro fixo no programa "Domingo Legal", de Gugu Liberato.

Em 28 de dezembro de 1991 inaugurou o Beto Carrero World, o maior parque temático da América Latina, no balneário de Penha, litoral norte de Santa Catarina. Inspirado no universo mágico da Disney, registra até hoje cerca de 10 milhões de visitantes.

O empresário tinha 70 anos, era casado e pai de três filhos.

Fonte:UOL

"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-

Tribunal Egípcio Aceita Pleito Bahá'í em Casos de Intolerância Religiosa

Tribunal Egípcio Aceita Pleito Bahá'í em Casos de Intolerância Religiosa


CAIRO, 29 de janeiro de 2008 (BWNS) – Numa vitória para a liberdade religiosa, um tribunal administrativo do Cairo decidiu hoje (29) em favor de dois processos legais que buscavam resolver a contraditória política do governo em relação à filiação religiosa e documentos de identificação.


O Tribunal Administrativo de Justiça no Cairo aceitou os argumentos colcados em dois casos relativos a bahá'ís que tentavam ter sua plena cidadania restaurada por meio da permissão para deixar o campo de identificação religiosa em branco em documentos oficiais de identificação.


"Dado a importância da liberdade religiosa no coração das questões de direitos humanos no Oriente Médio, o mundo deve se alegrar com esta decisão sobre esse dois casos de hoje”, afirmou Bani Dugal, a principal representante da Comunidade Internacional Bahá'í para as Nações Unidas.

"O compromisso gerado pelos bahá'ís nestes dois casos abre as portas para um caminho de reconciliação entre uma política governamental que era claramente incompatível com a legislação internacional – como também com o senso comum”, enfatizou a Sra. Dugal.

"Nossa esperança agora é que o governo possa rapidamente implementar a decisão do tribunal e permitir que os bahá'ís possam novamente gozar de todos os seus direitos de cidadania aos quais são devidamente entitulados”, afirmou ela.


As decisões de hoje se relacionam a dois casos, ambos submetidos por bahá'ís, acerca da questão de como eles deverão ser identificados em documentos governamentais.


O primeiro caos envolve um processo submetido pelo pai de duas crianças gêmeas que precisam obter certidões de nascimento oficiais. O segundo é sobre um estudante universitário que necessita de sua carteira de identidade nacional para renovar sua matrícula na universidade.


O governo requer que todos os documentos de identificação registrem a filiação religiosa do portador, mas restringe as opções às três religiões reconhecidas oficialmente no país -- Islamismo, Cristianismo e Judaísmo. Os baha'is ficam, portanto, impedidos de obter documentos de identificação porque recusam-se a mentir sobre sua filiação religiosa.


Sem carteiras de identidade nacionais – ou, como no caso das duas crianças, certidões de nascimento – os baha'is e outros grupos religiosos encontram-se amarrados pelas exigências contraditórias da lei e são privados de uma vasta variedade de direitos de cidadania, tais como acesso a emprego, educação e serviços médicos e financeiros.


Estes problemas foram destacados em um relatório divulgado em novembro de 2007 pela organização Human Rights Watch e pela sede do Cairo da organização Egyptian Initiative for Personal Rights (EIPR).


"Empregadores, tanto no setor público como no privado, pela lei não podem empregar alguém que não tenha uma carteira de identidade, e instituições acadêmicas requerem identidades para poder admitir seus alunos”, diz o relatório. "certidões de nascimento são exigidas para a emissão de certidões de casamento ou passaportes; certidões de óbito são necessárias para a obtenção de herança, pensões e seguros de vida. O Ministério da Saúde já até se recusou a oferecer imunização a algum as crianças bahá'ís porque o Ministério do Interior se recusava a fornecer-lhes certidões de nascimento que registrassem devidamente a sua religião bahá'í.”


A emissão de certidões de nascimento é a questão central do primeiro caso, que diz respeito aos gêmeos Imad e Nancy Rauf Hindi, de 14 anos. Seu pai, Rauf Hindi, obteve certidões que reconheciam sua filiação bahá'í quando eles nasceram.


Mas novas regras passaram a requerer certidões geradas por computador, e o sistema bloqueia qualquer filiação religiosa que não seja uma das três religiões oficialmente reconhecidas. E sem as certidões de nascimento, as crianças não podem ser matriculadas na escola no Egito.


O segundo processo foi submetido pela organização EIPR em fevereiro passado a favor do jovem Hussein Hosni Bakhit Abdel-Massih, de 18 anos, que fora suspenso do Inistituto de Educação Superior de Serviço Social da Universidade de Suez em janeiro de 2006 por não conseguir obter uma carteira de identidade, já que se recusou a se identificar falsamente como muçulmano, cristão ou judeu.


Em ambos os casos, os advogados que representam os bahá'ís deixaram claro que aceitariam documentos nos quais o campo de filiação religiosa fosse deixado em branco ou preenchido, talvez, com a palavra “outra”.


Esta solução é o que difere estes dois casos de processos rejeitados pelo Supremo Tribunal Administrativo no ano passado. Naquela decisão, o Supremo Tribunal Administrativo rejeitou uma decisão tomada por um tribunal inferior que havia concedido o direito aos bahá'ís de serem devidamente identificados em documentos governamentais oficiais.


Para mais informações, veja: http://news.bahai.org/ http://serv04.news.bahai.org/story/595

e/ou: http://www.bahai.org/persecution/egypt


--
Publicada em Comunidade Bahá'í do Brasil a 2/01/2008 09:01:00 AM

"A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos"
-Bahá'u'lláh-